Abordagem clássica da administração – Melhor resumo

Neste artigo apresentaremos um pequeno resumo do capítulo I – Abordagem Clássica da Administração, do livro Administração Geral e Pública de Idalberto Chiavenato.

Abordagem Clássica de Administração

O início do século XX é dado como época “berço” da Administração como ciência. Dois foram os introdutores: o americano Frederick Winslow Taylor e o francês Henry Fayol. O primeiro desenvolveu a chamada Administração Científica e o segundo a Teoria Clássica.
A Administração Científica, introduzida por Taylor nos Estados Unidos, tinha como principal preocupação aumentar a produtividade e eficiência no nível operacional das empresas. O foco principal era a divisão do trabalho, as tarefa e a separação dos cargos. Por essa razão, afirma-se que a Administração Científica parte de baixo para cima, ou seja, das partes (operários) para o todo (organização). Os movimentos necessários para realização das atividades, o tempo necessário para tal execução e a especialização do trabalhador eram estudados de forma meticulosa, visando criar um padrão de comportamento. Dessa forma, a ênfase da teoria era a tarefa.

Já a Teoria Clássica desenvolveu-se na Europa por meio dos trabalhos de Fayol. Nesta, a preocupação básica era com a estrutura organizacional, ou seja, a disposição dos setores da empresa e as relações entre os mesmos. Em razão disso, afirma-se que a Teoria Clássica possui abordagem inversa à Administração Científica, partindo de cima para baixo, ou seja, da organização para os departamentos. A ênfase é na estrutura e não nas tarefas.

Origem da Abordagem Clássica da Administração

O surgimento da Abordagem Clássica de Administração é devida, principalmente, ao advento da Revolução Industrial.
Com ela, as empresas passaram por um processo de rápido e desorganizado crescimento, sendo necessária, portanto, uma atividade que abordasse as questões empresariais de maneira mais científica e menos improvisada, como era feito até então.
Outro fator importante é que, com o aumento das empresas e, complexidade de sua administração, bem como o crescimento da concorrência, a busca por meios de melhorar a eficiência das organizações tornou-se regra no período. A divisão dos cargos e tarefas e a constante necessidade de redução de custos e desperdícios, fez com que os estudos desenvolvidos por Taylor e Fayol fossem tão marcantes em suas épocas.

Abordagem Clássica da Administração – Administração Científica

Taylor enxergou que as empresas de sua época, com o crescimento que vinham obtendo, necessitavam de um novo “método” de funcionamento, algo técnico e científico, que fosse capaz de aumentar a eficiência das mesmas. Seus estudos foram praticamente uma revolução na época, tendo em vista os novos conceitos apresentados. O foco de Taylor era, por meio de técnicas de produção bem definidas, reduzir os desperdícios, que eram comuns no período, bem como aumentar a produção.

Abordagem Clássica da Administração – Substituição da prática pela técnica

A improvisação era o que imperava nas empresas naquele cenário. Os funcionários desenvolviam seu modo de agir em suas atividades unicamente observando como os demais faziam, de maneira que cada um ia inserindo seus modos particulares de exercer as tarefas. O final disso é previsível: total falta de padrão na produção, desperdício de material e tempo o que , consequentemente, gerava baixa eficiência.
Taylor percebeu a necessidade de padronização do trabalho. Estudou a fundo como as tarefas eram realizadas, principalmente tempo e movimentos necessários, visando estabelecer um padrão para execução do serviço. Preocupou-se, também, com a organização dos locais de trabalho e com o treinamento dos funcionários, até em cargos de direção.

Alguns pontos eram cruciais para que o sistema funcionasse: técnicas prontas para execução das tarefas, padronização das ferramentas e máquinas utilizadas para execução dos trabalhos e prêmios para incentivar a produtividade.

Taylor foi um visionário para época. Em verdade, sua filosofia visava dar maior prosperidade tanto ao patrão como aos funcionários. No entanto, os seguidores de sua teoria preocuparam-se menos com a “filosofia” e mais com as técnicas de execução.


Abordagem Clássica da Administração

ORT – Organização Racional do Trabalho

Visando sempre a melhoria da eficiência na execução das tarefas, Taylor fundamentou sua teoria em alguns elementos que veremos a seguir:

  • Estudo de tempos e movimentos: As tarefas a serem executadas era minuciosamente estudadas a fim de verificar quais eram os movimentos necessários para sua execução, bem como qual era o tempo médio para realização dos mesmos. Movimentos que para nada serviam eram eliminados e os demais eram simplificados a fim de diminuir seu tempo de duração. Cada funcionário deveria seguir à risca a ordem e quantidade de movimentos previstos.
  • Fadiga Humana: Taylor verificou que a execução de movimentos não necessários levavam o homem a um cansaço prematuro e, consequentemente, diminuição da produção. Em razão disso, tentava-se organizar as tarefas e do local de trabalho de maneira tal que exigisse menos esforços dos operários.
  • Especialização do trabalhador: Buscou-se dividir o trabalho em pequenas tarefas. Cada trabalhador deveria executar somente uma atividade específica, tornando-se um especialista na execução da mesma.
  • Cargos e tarefas: Tarefa é a atividade a ser realizada e cargo é o conjunto de tarefas. Dessa forma, os cargos eram criados levando-se em consideração as tarefas que necessariamente deveriam ser exercidas, buscando-se sempre a simplificação e especialização do trabalho.
  • Incentivos por produção: Tendo definidas exatamente as tarefas a serem executadas e realizado o treinamento adequado com os funcionários, caso houvesse um incentivo financeiro ao trabalhador, o mesmo produziria mais e melhor.
  • homo economicus: Ou homem econômico. Acredita-se que o homem haja, em seu ambiente de trabalho, não por gostar, mas sim pela recompensa financeira ou econômica.
  • Local de trabalho: Verificou-se que não só as condições humanas eram relevantes para o aumento da eficiência. Elementos como equipamentos, localização das máquinas, iluminação, ventilação e outros referentes à estrutura física do local de trabalho, também exerciam influencia sobre o serviço prestado.
  • Total padronização: Não só as tarefas deveriam ser unificadas. Havia
    preocupação, também, com a padronização das máquinas, ferramentas, matérias-primas etc.
  • Supervisão: Taylor acreditava que não deveria haver somente um chefe central. As tarefas deveriam ser supervisionadas nas mais diversas áreas por pessoas especializadas naquela tarefa. Seguia-se da premissa que cada trabalhador deveria realizar a menor gama de funções possíveis, valendo essa regra também para os supervisores.
Aprenda técnicas matadoras para elaborar seu TCC clicando aqui.

Teoria Clássica da Administração

Fayol, engenheiro francês, foi o fundador da Teoria Clássica da Administração. Como engenheiro que era, sua teoria teve como foco principal a preocupação com a estrutura das organizações e não as tarefas.
Na teoria clássica, também, a Administração era tratada como ciência.
Existiram esforços para criar uma fórmula padrão que pudesse ser usada em qualquer prática administrativa.

Os órgãos eram divididos na linha vertical (autoridade) e horizontal (departamentalização) e, ainda, em órgãos de staff e órgãos de linha.

Fayol definiu, ademais, os elementos do processo administrativo, quais sejam: Prever, organizar, comandar, coordenar e controlar.

Como toda ciência, a administração deveria se basear em princípios. Os princípios gerais da administração para Fayol eram:

  • Divisão do trabalho
  • Autoridade e responsabilidade
  • Disciplina
  • Unidade de direção
  • Subordinação dos interesses individuais aos gerais
  • Remuneração de pessoal
  • Centralização
  • Cadeia Escalar
  • Ordem
  • Equidade
  • Estabilidade de pessoal
  • Iniciativa
  • Espírito de equipe

Gostaram do nosso resumo da abordagem clássica da administração? Esperamos que sim. Para complementar, neste vídeo postado por Fabio Frasson, você confere também algumas características.


Leia também:

Administração de Materiais

Administração de Materiais – Resumo

A administração de materiais é, certamente, um dos principais subsistemas de uma organização. Fortemente ligada ...

26 comments

  1. maravihoso seus resumo: claro, de facil compreensao. Mto bom mesmo, Parabéns

  2. Caramba!!! melhor explicação sobre a Abordagem Clássica da Administração que eu já vi, eu não entendia nada, agora, ficou tudo mais claro! muito obrigado, vocês são demais!!!

  3. Obrigado por fazer esse resumo. Me ajudou mais do que você imagina. Muito, muito obrigado mesmo!

  4. Muito obrigada pela Postagem Waltter Júnior, foi bem sucinta e explicativa.

  5. obrigada, gostei muito!

  6. Arrasou agora entendi!!! Parabéns.

  7. Obrigado pela ajuda!!!!

  8. Waltter, podemos dizer que Fayol verificou que a Administração não se limitava a apenas uma linha de produção ?

  9. Amei ! Parabéns.

    vocÊ me ajudou muito, estou no 1º período adm 🙂

  10. Ufaa…Agora sim,comprendi…Obg

  11. Show!!!! Resumo ótimo!!!!

  12. Show, muito bom. esclareceu muitas coisas.

  13. Rejane Ferreira de Amaral

    Texto excelente!

  14. Hermenegildo Paquete

    Amei o resumo, ajudou-me muito na elaboração de um trabalho acadêmico. Parabéns e que continuem a faser o mesmo.

  15. Foi muito clara essa explicação.
    Preciso ver também neoclássica e burocrática.
    Obrigada!

  16. Helia Katia de Magalhães

    O texto é conciso, claro e de fácil entendimento. Parabéns!

  17. Parabéns pelo resumo, ficou bem claro e de fácil entendimento. Foi bastante útil.

  18. Muito obrigada me ajudou muito essa materia

  19. Gostei muito. O trabalho vai me ajudar.

  20. melhor explicação ! clara, objetiva, resumindo : perfeita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Wordpress SEO Plugin by SEOPressor